quinta-feira, 24 de outubro de 2013

MEGA REVIEW OUYA - tudo o que você sempre quis saber sobre o Ouya


Comecemos pelo hardware comentado do Ouya.


O hardware do Ouya desmontado, na versão dos desenvolvedores.




Hardware:

Processador NVidea Tegra 3 quad-core
1GB RAM DDR 3
8GB de memória interna
Conexão HDMI para a TV, com suporte a 1080p
Wi-Fi 802.11 b/g/n
Bluetooth  4.0
USB 2.0
Touchpad 3 polegadas no controle
Android Jelly Bean 4.1


Dizem muita bobagem com relação a esse hardware, mas vamos aos fatos. O Ouya teve seu hardware anunciado no primeiro semestre de 2012, e desde então a indústria dos smartphones e tablets (e agora phablets) continuou avançando. Outro ponto interessante, é o fato de que o valor é realmente pequeno, são só 99 dólares, com um hardware similar ao do Samsung Galaxy S3, que custa no Brasil na faixa dos 700 dólares.

Não é ok comparar hardware deles, o Ouya é um videogame, celulares são celulares... e mesmo que alguém ache que é insuficiente, eu digo que aguenta bem o tranco.

Versão mais comum do Ouya.





O corpo do Ouya é revestido em alumínio escovado, da cor prata na maioria das versões, em plástico na versão dos desenvolvedores, e em dark chocolate na versão exclusiva do Kickstarter.


Versão marrom do Ouya.


O Ouya é todo aberto a modificações, então os fãs fazem um monte de casemods, abrindo uma centena de possibilidades:

Feito numa impressora 3D na Makerboot.

Muitas cores nos muitos Ouyas


Ouya no case de acrílico imitando o NES.



O Controverso Controle do Ouya

Esse divide mais opiniões do que Moisés no Mar Vermelho. O controle tem algumas novidades, do tipo um touchpad de 3 polegadas no centro do controle, servindo de mouse, e quebra um galho. Os gatilhos L e R, 1 e 2 podem ser apertados só com ambos os dedos indicadores, e isso é muito cool.

As pilhas se escondem debaixo da carcaça do controle, são duas AA que duram bastante, atualmente estou usando uma pilha da Phillips de 2450 mAh, e essa durou muito... foram praticamente 3 meses jogando sem recarga.



Reclamam muito da resposta do controle, mas eu digo que não é um problema, jogo até dois metros do console e não tenho problemas, salvo quando o pequenino console fica quente pra caramba, dai vira um samba de criolo doido, e nada funciona direito, mas não é o normal.






Dizem que o direcional é horrível, mas sinceramente? É um botão praticamente inútil nos dias de hoje, ocupando funções como troca de arma. É desconfortável mesmo, podia ser melhor, mas o argumento é o mesmo: 99 dólares, e outra: o direcional do ps3 e do Xbox360 são porcarias do mesmo nível.


Os Jogos

O Ouya conta com uma loja virtual que disponibiliza download e compra de mais de 480 aplicativos e jogos, e esse número cresce mês a mês.

Ponto interessante é que todos os jogos tem demos jogáveis, alguns são fremium, outros são totalmente free. Quase a totalidade dos emuladores são gratuitos, e rodam muito bem. Destaque para a emulação de Super Nintendo, NES, Mega Drive, Playstation e MAME.




Os jogos são em maioria indie games bem desenvolvidos e de preço bem acessível (a maioria custa 2,99 dólares). Retrogamers e fãs de indie games terão horas de diversão garantida na Discovery, é uma re-descoberta do hábito de jogar videogame: gráficos deixam de ser importantes para dar mais espaço a jogabilidade e a diversão direta. A dificuldade está alí novamente, quase sempre opcional, mas um ex-jogador e orfão do NES pode encontrar aquele enfrentamento homem-máquina que anda meio sumido.



Se for falar de emulação não posso esquecer de falar de Retro Arch, que é um aplicativo que emula um monte de consoles, e de maneira muito satisfatória. Facilita muito a vida ter tudo junto, com um controle sendo reconhecido automaticamente, e todas as funções realmente úteis na emulação alí alocadas.

Recentemente o Retro Arch passou por um lance meio esquisito, depois de uma briga dos desenvolvedores em forums do Ouya, ele foi banido da Discovery, adotado novamente por outro grupo, retornou triunfante semanas depois. Se você gosta de emulação, saiba que o OUYA é perfeito pra isso, e só é possível tecer esse comentário depois de ter Retro Arch instalado no console.


Quanto aos jogos, as postagens desse blog falam bastante de como são, então fica na imagem abaixo o link para o site do Ouya e todos os jogos já lançados, e os que estão já prometidos para os próximos dois anos.

Clique na imagem para ver o que já foi lançado.






A outra face do Ouya : Media Center



Sem perder tempo, o Ouya tem um VLC, tem uma boa compatibilidade com players, tem app oficial do Plex, mas falando em media aceitem que o XBMC para o OUYA é perfeito.

Em português, uma senhora compatibilidade com a maioria dos formatos de vídeo, música e imagem, contando com certas facilidades como previsão do tempo e outras gracinhas. Parou de jogar? Porque não assistir sua série favorita? Ela pode ser acessada pela internet, no USB do Ouya (um pendrive por exemplo) ou ainda na sua rede interna em casa. Assisto atualmente Game of Thrones, Breaking Bad e Sons of Anarchy... pra que serve essa informação? Nada né... mas enfim, uso isso pra caramba.






Como comprar o Ouya

Um ou outro cara vende no Mercado Libre por 500, 600 reais, mas é meio absurdo pagar isso num aparelho de 99 dólares. Dá para comprar na Amazon americana e canadense, e acredito que seja a melhor forma de comprar. O frete sai por torno de 20 dólares, e ele te chegado ao Brasil em 20 dias em média.

Link para a compra do console na Amazon: http://www.amazon.com/OUYA-Console/dp/B0050SZD18

A taxação é uma loteria, fui taxado em 299 reais, mas sei de quem já foi taxado em 460 reais, 80 reais, 40 reais, e até mesmo em nada...

O valor dele é 99, não tem como colocar convertido porque isso muda pra caramba.

Dado todas essas informações, ofereço o campo dos comentários como forma de atualizar o texto com as respostas.


Quem quiser saber mais, entre no grupo Ouya Brasil no Facebook:
https://www.facebook.com/groups/421636434616975/

Ou no grupo Android Players:
https://www.facebook.com/groups/androidplayers/




Android Players