quarta-feira, 6 de novembro de 2013

OpenPandora

Em 2008, uma equipe de entusiastas começou a produção de um produto híbrido de um console portátil e um notebook, o resultado foi o OpenPandora, um aparelho que rodava linux, e logo conquistou uma legião de fãs principalmente os que queriam emulação a partir dele.




As primeiras versões do OpenPandora traziam um hardware bem modesto, ele foi seguidamente comparado ao Dingoo, até nas comparações técnicas, e muitos defendiam que o OpenPandora não tinha um bom custo benefício. Estavam errados estes, o console é muito mais que um emulador, e o Dingux (Linux para Dingoo) jamais poderia realizar tantas tarefas como o Sistema Operacional no Pandora.






Atualmente, o OpenPandora roda Linux e\ou Android, e já está com um hardware bem mais interessante:


  • Processador montado sobre a plataforma Texas Instruments OMAP3530, trabalhando a 1GHz
  • Memória RAM de 512MB DDR-333 SDRAM
  • Memória de Armazenamento de 512MB NAND FLASH
  • Processador de audio e video IVA2+ com a tecnologia TI's DaVinci™ (430MHz C64x DSP)
  • Microprocessador ARM® Cortex™-A8, núcleo superscalar (com suporte a overclock)
  • Processador gráfico PowerVR SGX530 110MHz com OpenGL ES 2.0, compilador de hardware 3D
  • Wifi integrado 802.11b/g (saída até 18dBm)
  • Bluetooth 2.0 integrado + EDR (3Mbps) (Classe 2, + 4dBm)
  • Resolução de 800x480 TFT LCD com tela de toque (touch screen), formato 4.3" widescreen, 16.7 milhões de cores (Brilho: 300 cd/m2, Contraste: 450:1)
  • Gamepad com 2 botões analógicos
  • Duplo slot para cartão SDHC/SDXC (até 256GB de armazenamento)
  • Saída para fones de ouvido (headphones) com 150mW/channel em 16 ohms, 99dB SNR (até 24 bit/48KHz)
  • Saída para TV (S-Video)
  • Alto-falantes estéreo, ajuste analógico de volume, DAC de alta qualidade
  • Microfone interno e conector para headset
  • Teclado tipo QWERTY com 43 botões e keypad numérico
  • Porta USB 2.0 OTG (1.5/12/480Mbps) para carregar o dispositivo
  • Porta USB 2.0 HOST (480Mbps) para inserção de dispositivos tais como memórias USB, Teclado, Mouse, Modem 3G, GPS
  • Botão tipo Liga e segura para "ação rápida" em aplicações e mídia
  • Roda sob o kernel Linux 3.2.30 e Android 2.3
  • Bateria de 4200mAh, (até 20 horas no modo de economia - 10 horas com todos os serviços ativados + jogos)
  • Dimensões: 140x83.4x27.5mm
  • Peso: Aprox. 335g (com bateria)


Essa imagem acima, mostra como será a próxima versão, e já está em pré venda no site do fabricante.



Para entusiastas, o OpenPandora é uma boa pedida, cheio de funções e possibilidades, e não é inútil quando jogar não é sua vontade. O que torna o OpenPandora mais complicado de engolir, é seu preço: suas versões passam fácil dos 400 dólares, chegando até a faixa dos 600 dólares.

No Brasil, com taxas de importação, o aparelho pode custar até 1800 reais, lá fora ele já é considerado caro, custa mais que qualquer vídeogame de última geração.




Mesmo assim, houve uma época que quase que o OpenPandora reinou absoluto na emulação portátil genérica.

No próximo post: Dingoo, o emulador portátil chinês que mudou o conceito de emulação



Android Players